14 outubro 2014

12 anos de PT. O Brasil não cresce, por que?

Comecemos com os fatos óbvios: não há o que negar, redistribuir riquezas é o grande mérito desse governo e por um tempo isso bastou para fazer nossa economia crescer. Independentemente,  passado um tempo o país não sabe mais crescer.

Curioso como os economistas deste governo pensam que "o investimento" move a economia... que se eu tenho "investimento", necessariamente terei retorno.

Não, não é verdade... você pode investir tudo errado. Pode perder (em especial se investiu com o dinheiro "barato" dos antepassados ou ainda mais barato, dos contribuintes) e pode  perder mais do que investiu,  na verdade,  como sabem os empreendedores, é bem possível produzir ganhos (econômicos ou sociais) sem investimento financeiro.

Eis o mais bizarro: o governo do PT acredita no marxismo.. e usa essa visão de economia como, exploração do homem pelo homem, para "forjar capitalistas de estado"... Investindo o nosso dinheiro em alguns amigos que certamente "darão retorno". Concluo que poderão explorar ainda melhor os outros conterrâneos? Oras,  as grandes fortunas não acontecem conforme a fórmula do capitalismo marxista... Bill Gates ou Jobs não tinham milhares de dólares que usaram para explorar trabalhadores e ficar bilionários.  Isso não é uma verdade exclusivamente da era da informática, era antes para Henry Ford e já era verdade para Creso*, rei de Lídia, 2500 anos atrás.

Os maiores ganhos econômicos decorrem da capacidade de criar do ser humano e são eles que sustentam todo o castelo da redistribuição de renda do governo PT. O que se podia redistribuir, dada a riqueza que se produz, já foi em boa medida, e ainda há promessas e promessas de direitos a serem quitados para grupos variados, além dos compromissos que o governo se propôs a resolver.. em resumo, todos os problemas da sociedade. "Tudo de graça para todo mundo agora".

MAS para resolver esses problemas precisamos fazer melhor como indivíduos e como sociedade e esse governo é MUITO RUIM em ajudar ou sequer permitir a sociedade que faça a parte dela. Esse governo tem medo dos empreendedores.

Esse é um governo bem intencionado, não nego. É um governo que quer fazer! Só não sabe como, e por isso atrapalha quem sabe. É um governo de gente que não entende os sonhos por trás dos homens e ao ver um empreendedor está mais preocupado em perguntar-se "quanto ele espera ganhar com isso?". Quanto poderemos tirar dele? É um governo que vê o trabalhador como um pobrezinho, um infeliz, um necessitado, que precisa de constante vigilância para não ceder aos vícios, constante supervisão para não ser enganado, numa relação que não pode ser ganha-ganha, tem de ser de exploração, é um trabalhador que precisa de um pai zeloso que o acolha com seus braços cristãos. É o governo dos excluídos, para o bem, e para o mal.

Esse governo tem bloqueado sistematicamente quem tenta fazer... Para este governo tem mais valor uma pessoa que protesta do que uma que trabalha, e isso pode ser visto quando aqueles que protestam são atendidos primeiro do que aqueles que trabalham... Talvez porque o primeiro "percebeu-se explorado"? É claro, isso não ajuda quem constrói com sonhos.  Temos atrapalhado constantemente quem tenta inovar, mudar o mundo, etc... Temos ainda culpabilizado quem produz, criticado quem trabalha, valorizado a acomodação. Não nego o valor de um bolsa família, mas passados 12 anos, isso basta?

O importante é poder dizer ao final que "meu governo (EU) deu para aquelas famílias de excluídos ali, uma casa que devia custar 900 reais por mês, por apenas 90 reais mensais".
...mas diante dessa luz, será verdade? E por quanto tempo?


* Creso, rei da Lídia, aparece na expressão "As rich as Croesus" e seria o homem mais rico da antiguidade. A inovação que surgiu na Lídia e garantiu a Creso sua fortuna, foi a cunhagem de moedas "certificadas" e a construção de um sistema para verificação de sua pureza. Essa pequena inovação levou esse país (hoje parte da Turquia) à uma posição central no comércio.  

21 julho 2014

Dados de corrupção por partido sem viés.


Análise dos dados de corrupção, sem enviesar pelo tamanho dos partidos

Anda circulando por ai o Dossíe da Corrupção (link abaixo). Estatísticas tortas... Infelizmente o mesmo ignora o tamanho dos partidos e leva a conclusões exageradas. O PV realmente teve menos cassados que o DEM entre os anos de 2000 e 2007, mas para cada 8 pessoas que foram cassadas no DEM, se o PV tivesse o mesmo tamanho e as proporções fossem mantidas, haveriam 3 cassados no PV. Não é o que faz parecer o 0,3% e os 20% do Dossie.


Total de prefeituras no período da pesquisa (2000 - 2007) Número de políticos cassados Porcentagem de Políticos cassados
PV 70 1 1,43%
PT 598 10 1,67%
PRP 53 1 1,89%
PP 1169 26 2,22%
PSB 308 7 2,27%
PTB 932 24 2,58%
PR 623 17 2,73%
PMDB 2315 66 2,85%
PPS 474 14 2,95%
PSDB 1859 58 3,12%
PSC 59 2 3,39%
DEM 1815 69 3,80%
PMN 45 2 4,44%
PDT 594 27 4,55%

OBS:
1 - Fontes:
Dossie do Movimento de Combate à Corrupção
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dossiê_do_Movimento_de_Combate_à_Corrupção_Eleitoral
Evolução de poder dos partidos
http://oglobo.globo.com/infograficos/eleicoes2012-evolucao-partidos

2 - Vale notar que outros fatores provavelmente influenciam as cassações. O tamanho dos municípios pode ser relevante (por exemplo, em 2004, o PT e o PSDB tinham grande diferença no número de municípios, mas controlavam o mesmo número de  municípios (50) com mais de 100 mil habitantes (em 2000 eram 48 e 52). As cassações por região do Brasil também podem ser um dado relevante, que não tenho a disposição (Talvez, no Norte e Nordeste, como há menos controles, há menos cassações))).

3 - O número de cassados por partido  no Dossie desconsidera o número de vices cassados (e eles são 1/3 dos cassados) então aqui podemos ter outra distorção importante.

4 - Infelizmente, os dados acabam em 2007, assim não dá para saber como ficou esse quadro com o crescimento do número de prefeituras controladas pelo PT (2012 são 636) e a diminuição do DEM (2012 são 278).

ISOLAMENTO