17 agosto 2007

Pão de Queijo



Já faz um tempinho que não falo bobagens, então com o universo é infinito,sempre há espaço para mais um pouco... Vamos falar de Pão de Queijo..

Pão de Queijo é tudo, tem todos os ingredientes que fazem a alegria: gordura e carboidratos altamente processados... Essa fórmula também faz o sucesso do Yakisoba, do Pastel de Feira (o pastel é carboidrato imerso em gordura, fica ainda melhor), da coxinha de padaria...


Bem, fui viajar para a Serra da Canastra, lá fiquei na Pousada Fazendinha, tendo como café da manhã, lanche da manhã, pré-almoço, sobremesa, lanchinho da tarde e finalização da janta um singelo Pão de queijo feito pela Silmar!! Comida mineira é duro, e assim ganhei muita alegria, materializada na forma de barriga.


Resolvi lá mesmo que iria fazer um pão de queijo como aquele aqui em Sampa, e no tradicional almoço de domingo os ofereceria à disposição dos comensais.



Bem, o segredo da boa culinária começa nos ingredientes, isso eu já sabia, então, aproveitando que estava no lugar certo, e na hora certa, aproveitei para comprar os seguintes itens, que só poderiam ser adquiridos por aquelas paragens:
- Queijo Canastra Meia Cura (isso você até acha em São Paulo, no Mercado Central).
- Polvilho (azedo). o polvilho daqui é de qualidade muito inferior;
A experiência de achar um "capiau", que mantém instalações de produção de queijo inacreditavelmente limpas, em meio ao curral atolado de bosta de vaca e lama, foi algo único. Comprei numa fazendinha a caminho da CascaD´Anta, uma cachoeira imperdível.

Abri mão dos seguintes itens que tive que obter em São Paulo mesmo:
- Ovos.
- Leite.
- Sal.
- Óleo.

Bem, ainda quanto aos ingredientes, o segredo é simples.. como disse, o bom pão de queijo é aquele com bastante gordura, então o ideal é usar leite de vaca (e não o da caixinha). Como trazer a vaca tava difícil, tive que apelar e comprar leite integral mesmo. PELO AMOR DE DEUS não use leite desnatado... se você quer fazer "pão de queijo diet", então coma uma cenoura, que é mais nutritivo e saboroso. O ovo também deve ser o mais nutritivo (ou seja gordurento), e portanto deveria usar ovo caipira (você também acha isso no mercadão).

Ai, esqueci a receita da Silmar em algum canto, e não tinha mais como fazer o pão-dei-queijo, mas o google estava ai para me salvar. Conhecedor dos segredos, foi fácil achar uma receita espetacular, bastou procurar por "pão de queijo, ovo caipira e queijo canastra".. Encontrei então essa receita. A descrição me encheu de alegria, pois insistia no ovo caipira, sinal que não era destas receitas de pão de queijo no microondas ou no liquidificador... coisa de paulista estressado que desaprendeu o segredo da vida.

Segui a receita passo a passo, exceto que usei polvilho azedo, como confiava na procedência (ou seja a receita fala em polvilho doce Marinês, e o meu eu comprei "azedo" feito artesanalmente pela esposa do capiau supracitado, não tive problemas:

1 kg de polvilho doce Marinês (não me responsabilizo por outra marca)
200 ml de óleo vegetal e um outro tanto para os besuntes
750 ml de leite integral (já que vocês aí não têm vacas amigas)
1 colher (sopa) de sal
7 ou 8 ovos dependendo do tamanho (por caridade, ovo caipira!)
400 g de queijo Minas ralado (½ cura, tipo Canastra)


A receita diz:
Ferva, em uma panela, o leite junto com o óleo e o sal.
Em uma vasilha grande e firme, espalhe todo o polvilho.
Assim que o leite e o óleo estiverem fervendo, retire do fogo e regue todo o polvilho.
Prepare-se agora para o desespero... nesse momento você vai ter certeza absoluta de que fez alguma coisa errada... pensa em ler a receita novamente, pensa em maldizer a raça mineira, mas contenha-se! Não faça isso!


Vamos esclarecer... o autor tem toda a razão, estava certo que tinha errado.

A hora agora é de testar todo o seu vigor... bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata, bata e... bata!
Virou um grude? Uma massa horrorosa? Virou?
Ótimo!


Caros, preciso dizer, que gastei mais calorias nessa parte do processo que ganhei comendo os pãezinhos depois. Essa parte de bata, bata, bata, explica porque não precisa de muito sal na receita... porque ele virá da sua alma, e da sua testa... A receita aqui recomenda pausa para um café de coador, enquanto a massa esfria, mas preciso esclarecer que só consegui tomar um copo de agua gelada, a idéia do café quente me apavorava. A essa altura o almoço de domingo já estava começando, e esperar a massa esfriar impossibilitou o aperitivo. Transferi o pão para às 15h50, o que é uma pena, pois tirou o principal ingrediente de qualquer prato: A FOME.

Olha lá agora... esfriou? Maravilha! Pegue os ovos... ô! os da galinha sô!
Abra um por um para conferir a honestidade deles... porque você sabe, galinha é galinha...
Vá acrescentando um a um e mexendo... o desespero volta a se instalar... você agora não tem mais dúvidas... deu tudo errado!
Confiança mano! É assim mesmo...
É o momento do personagem principal entrar... acrescente agora o queijo aos poucos, estufe o peito e... meta literalmente a mão na massa e... mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, mexa, e... mexa!


Certo, a parte de bater o pão anterior foi dura, mas essa foi ainda pior...

Como a mulher do malandro, a massa agora começa a corresponder aos seus "carinhos"... vai se tornando lisa e digna...
A exaustão e o arrependimento já tomaram conta de todo o seu ser?
Perfeito!!!

Tá, pode acender um pito e descansar...
Pegue agora um pouco de óleo para untar as mãos e os tabuleiros.
Com uma colher de sopa vá pegando as porções de massa e dando a elas uma forma arredondada.
Pára, pára, pára!!!
Liga lá o forno! 10 minutos de pré-aquecimento...
Deixe um espaço de um dedo (aquele dedo que muitos usam no trânsito) entre cada um dos futuros pães.
Leve ao forno. Quando começarem a crescer, diminua a temperatura do fogo para que cozinhem por dentro.
Assim que estiverem dourados retire do forno.
Marcha Triunfal de Verdi como música incidental será perfeita para a ocasião...
Buono appetito, caro!


Bem, realmente a receita produziu espetaculares pães de queijo, que são citados até hoje nos almoços de domingo, e ainda sobrou para congelar. A outra metade do queijo meia cura, e do polvilho estragaram, porque não tive coragem de viver esse processo novamente no prazo de validade.

É isso.
Carlos






3 comentários:

David Mazurchi disse...

Grande Paulo, show de bola!

Faço essa receita de pão de queijo desde meus 12 anos. Fazia pra galera da escola. Hoje uma amiga me pediu para reunirmos os amigos daquele tempo e para variar...lá vou eu, sofredor, suar a testa sovando a massa. Vc tem toda razão, amassar a massa é a pior parte..mas compensa...ficam fantásticos. Se quiser me manda teu endereço, te envio um pote da massa congelada!

Abraço!

Uk Mendonça disse...

Estou tentando congelar, mas não deu
certo será porque?
Como vc faz para congelar?
Aguardo,
adrimafe@yahoo.com.br
Adriane

denise disse...

Olha pessoal, eu tenho o Queijo Meia Cura lá da Serra da Canastra aquele do sitio artesanal,delicioso que é dificil de achar, tenho aqui em S.Paulo-Capital - É só ligar - Fone: 11 8083 9545 falar c/ Toninho