20 maio 2007

Trangênicos: Qual o problema?


Retirei esse trecho do site da monsanto:
"No milho, por exemplo, cientistas utilizaram a tecnologia para inserir um gene que o tornou resistente a alguns tipos de pragas comuns nesse cultivo. Com isso, esse milho dispensa a aplicação de alguns inseticidas, diminuindo em muito o uso desses agrotóxicos, beneficiando o meio ambiente. Outros exemplos são a soja, o trigo, a canola e o algodão tolerantes a um tipo de herbicida ou resistentes a pragas."
Fonte:
Quando leio esse trecho, faço como todo mundo, e me pergunto:"Uê, qual o problema, esses ecologistas são mesmo uns chatos..."
Mas preste atenção:
"...a soja, o trigo, a canola e o algodão tolerantes a um tipo de herbicida" - Sabe o que isso quer dizer?
Que a tal soja trangênica pode receber uma quantidade maior de um Herbicida.. Os herbicidas, apesar de serem melhores que os inseticidas, ainda são do bom e velho grupo dos "cidas", daí também vem as palavras "suicida", "homicida"... que tem óbvia ligação com o verbo "assassinar"... No caso, a soja transgênica e outros são resistentes ao "Roundup", que age na natureza matando as plantas invasoras das plantações, ou como diz o caipira "o mato". Assim, fica claro o problema, o tal transgênico permite o uso de mais herbicida (veneno)...
Também sou favorável a produção de trangênicos que diminuam o uso de inseticida, ou levem a alimentos mais saudáveis... mas nem todo cisne é branco, e existem também aqueles produtos transgênicos que ocultam pegadinhas e podem ser prejudiciais ao ambiente, especialmente se usados por uma população "sem informação". Mas não há que se preocupar, pois nossos agricultores são todos formados em agronomia, não é?
O uso de herbicidas em excesso pode prejudicar as florestas em torno das plantações de soja, e acredite, não é a toa que a monsato escreve no pacote do "Roundap Transourb":
"Produto mediamente tóxico. - ATENÇÃO: ESSE PRODUTO É PERIGOSO A SAUDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE. UTILIZE SEMPRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL."
Veja você mesmo no final da página:

Nenhum comentário:

ISOLAMENTO