17 maio 2007

Celulares

17 anos atrás, os celulares, começaram a chegar no Brasil. Claro que então ninguém podia usá-los, pois custavam fortunas. Os poucos que tinham dinheiro para comprar um aparelho (e uma linha) os ostentavam fazendo questão de usá-los em lugares públicos, com o máximo de estardalhaço, pois era como portar uma Ferrari (ok, não vamos exagerar, um Audi).

O resultado disso foi a consolidação de hábitos desagradáveis, a falta de educação de alguns foi um deles, mas não foi o pior. Entregamos ao celular o dominio sobre nossas vidas... acostumamos a manter o celular ligado, e se a elite já agia assim, quando o monstrinho ficou disponível para as classes "na base da pirâmide", ai é que a coisa degringolou de vez.

Hoje, ai de mim se esqueço o celular desligado, tomo broncas terríveis: "Onde estava?", "Por que não me atendeu?", "Por que atendeu e disse que queria desligar.." Cobram meus amigos, minha namorada, eventuais familiares e pasmem minhas funcionárias.

Mas...

O "pobrema du coisinho", no meu ponto de vista, não é quando não me alcançam, mas ao contrário, quando me encontram e iniciam conversas em situações que muitas vezes não posso ter. Em seguida as pessoas se irritam, porque você não estava "lá" com elas... não lhes deu atenção... Foi grosso ou não ouviu o que diziam... Certo, elas na maior parte das vezes estão com a razão.

Só que...

Esqueceram que a invasão foi delas... eu estava em outro lugar, e não necessariamente podia ir para aquele outro virtual...

Agora isso não é o pior... o pior mesmo é que, às vezes, faço a mesma coisa com eles...




Nenhum comentário:

ISOLAMENTO