05 março 2007

A LÓGICA E A LEI

Hoje fui receber um valor na 74 vara do trabalho. Tratava-se de um imposto pago em duplicidade, visto que o estado não verificou se eu havia pago ou não, pura e simplesmente bloqueou a conta e fez o saque, tive que entrar com processo para reaver o que havia pago.
Até ai, tudo bem...
Então hoje, fui buscar a devolução. O que ouço do funcionário:
"Somente o advogado pode retirar o valor."
Acontece que o advogado é meu irmão, e assim queria evitar o trabalho para ele.
Apesar do sobrenome identico, não teve negócio não... sem advogado, sem o dinheiro. Claro que se eu não tivesse um advogado então podia retirar o valor.

Ai fiquei pensando. Por que? O que o estado ganha com isso? O que o beneficiário ganha com essa burocracia? O dinheiro não era meu mesmo?

A resposta é nada. Mas alguém ganha, essas regras não surgem a toa, e então vou dar 10 segundos para você pensar quem ganha com isso...
9
8
7
6
5
4, 3, 2, 1...

O advogado. Ele ganha com isso pois pode tirar os honorários dele antes de entregar o dinheiro ao cliente.

Muito justo alguém dirá. Afinal deve haver algum cliente pilantra que poderia pegar o valor e não pagar o advogado.

Mas...

Será que não existe também um advogado pilantra que pode pegar o dinheiro e não entregar ao cliente... Que pega o dinheiro e diz ao cliente: "Ainda não saiu, a justiça é muito lenta, sabe?", e aproveita para ganhar uns juros em cima desta história? E aproveita para gastar o dindim do cliente...

Pois é, ao advogado caberia o recurso de ver que o cliente pegou o dinheiro e entrar com um processo (a custo zero, já que é advogado), mas ao cliente... esse se estiver nesta situação vai se dar mal.

Além disso, é bom observar que se o cliente der um golpe e levar a parte do advogado, estará levando menos que no caso inverso, pois a parte do advogado é a menor do bolo.

Pois é, ser amigo de quem faz as leis, como o são os advogados, inverte qualquer lógica legal... exceto a clássica:"Aos inimigos, a lei".

Nenhum comentário:

ISOLAMENTO