27 março 2008

Dawkins - Deus um Delirio

Acabei de ler o Livro do Dawkins - Deus um Delírio. Já tinha lido o Relojoeiro Cego, portanto já sabia a linha, mas nesse o autor realmente consegue fazer pensar. O autor começa questionando por que não se pode discutir religião, e por que ela goza de um status privilegiado. É pontuado de argumentos ótimos como:

- Se você pedir dispensa do exército por razões morais, não será atendido, mas por razões religiosas, sim! Por quê?

- Se um cientista faz experimentos com animais é obrigado a seguir um código de ética e atacado por ativistas pró-animais, mas se um rabino mata animais de forma cruel, ou se alguém que crê no Vodu oferece animais em sacrifício da forma mais dolorosa possível deve-se respeitar a crença religiosa?! Novamente por quê?

- Por que quando alguns religiosos ofendem homossexuais, alegam que estão no seu direito de livre religião e expressão, mas quando alguém faz um desenho de Maomé ou mesmo uma piada de mal gosto com Jesus, sentem-se profundamente ofendidos e processam o autor da charge.

- Por que quando alguém morre ninguém diz: “Que ótimo, queria ser ele para estar logo no céu”?

Se por um lado ele exagera, por outro é ótimo. EM RESUMO, Leia...

4 comentários:

Fernando disse...

Carlão, inicialmente um breve reparo. Ao menos no Brasil, é possível pedir dispensa de serviço militar com base em convicção religiosa, filosófica ou política. Assim, neste ponto, a religião não goza de status especial.

Eu não lí o livro, por isso não posso comentar sobre ele. Mas, de maneira geral, considero pouco profundas as críticas "científicas" a idéia de religião.

A Fé é um dogma. É uma premissa aceita como verdadeira, sem necessidade de embasamento. Dizer que não há prova científica da existência de Deus é apontar o óbvio.

Carlos disse...

Fernando,

Tem razão no seu ponto, mas o livro discute a fundo esse aspecto, colocando a questão da seguinte forma: A religião é uma das poucas idéias humanas que seus defensores argumentam que não pode ser discutida. Se vc tem provas que a religião está errada, os "teologos" apenas afirmam que você deve esquecer essas provas, pois Deus está apenas testando você... "Pessoas realmente especiais e escolhidas" acreditam em detrimento da prova. Se o debate é apenas esse, então já está encerrado. Mas se você atua baseado numa crença maluca, e manda invadir um país, mudar o sistema de ensino, não votar em alguém, crítica a vida alheia, apenas porque vive um delírio de massa, talvez seja hora de conversar sobre isso. Ou não?

Fernando disse...

Carlos,
Eu não disse que religião é um assunto que não pode ser discutido. Disse apenas que afirmar que não há provas sobre a existência de Deus acrescenta muito pouco ao debate.
Agora, se a religião gera os problemas que você falou, ela também é a base valorativa de nossa organização social.
A idéia de que a vida humana é sagrada e de que todos os homens são iguais tem por fundamento o dogma de que Deus criou o homem a sua imagem e semelhança.
Não é por acaso que são as religiões que fizeram e fazem o combate a toda iniciativa que tente relativizar esta premissa (como direito ao aborto, pesquisa com embriões e escravidão).
E apesar de todo o preconceito que as vezes vinculam, são as religiões que acolhem os párias sociais. Basta ver o trabalho feito pelas diversas denominações religiosas junto aos presídios.

Carlos disse...

Pois é, como disse, o livro vale a pena.