28 julho 2009

Homossexualidade é doença?


Recebi email pedindo pela liberdade de expressão de Rozangela Justino (no link você pode ver algumas das bobagens que ela defende).

Particularmente sou sempre a favor da liberdade de expressão.. para mim, tudo pode ser dito.


Entretanto as pessoas devem arcar com as consequências do que dizem... Se acuso alguém de ladrão posso ser condenado por difamação (se não provar a acusação). Se digo que os negros deveriam ser exterminados, posso ser acusado de racismo... Assim, nem tudo pode ser dito, sem consequência.

Afinal, homossexualismo é doença mental? Que diferença faz?


A esquizofrenia paranóide é uma doença mental, e a sociedade diz que o doente deve ser tratado, independente de sua vontade.. dá para entender as implicações de tratar algo como doença mental?

Sobre a cura dos homossexuais, recomendo a história do matemático Alan Turing...

Esse é o homem que inventou a computação, propôs a inteligência artificial, e quebrou os códigos secretos de guerra nazista (dando vitória aos aliados). Ele deveria ser visto como um herói pelos americanos e britanicos, e como um gênio pela humanidade, pela contribuição que deu, não é mesmo?
Ele terminou se suicidando porque foi condenado pela sociedade americana corte inglesa nos anos 50 a tratamento hormonal para curá-lo do homossexualismo. Ai fica fácil entender a posição dos homossexuais e porque não querem que alguém acredite que podemos "curar homossexuais".

7 comentários:

Fernando disse...

Carlão, o post está excelente. Mas o matemático era inglês.

Fernando disse...

Carlão, o post está excelente. Mas o matemático era inglês.

Anônimo disse...

Carlão, o post está ótimo. Mas o matematico era inglês. Aproveitando, deixa eu fazer uma pergunta. Para que serve a seta ao lado texto? É para clicar se tiver achado interessante?

Fernando

Carlos disse...

Sim, Turing era Inglês. A confusão que o texto faz é outra... ele foi condenado na Inglaterra, e não nos EUA.

Valeu o toque.

dr. João Borzino disse...

Carlão, homosexualidade não é doença. O orientação sexual é definida no útero. O indivíduo já nasce hoerótico ( termo técnico para homossexual), hetero ou transexual. Me deu a idéia de escrever sobre em meu blog. Dá um zóio lá depois.
Abração!

Fernando disse...

Quando eu ouvi pela primeira vez a história da psicóloga que foi punida pelo Conselho Regional de Psicologia porque “curava” homossexuais, dei toda razão ao conselho, afinal homossexualidade não é doença para precisar de tratamento.

Mas depois eu fiquei pensando na situação de alguém que sente desejo pelo mesmo sexo, mas em razão de seus valores morais e religiosos não consegue ser feliz nesta condição. Imagine um evangélico fervoroso que é gay. Ele só tem duas opções, ou abandona seus valores ou sublima seu desejo.

E uma sociedade plural, que acolhe todas as formas de pensamento, não deveria estar pronta para aceitar que ele opte pelos valores? Afinal, a liberdade de fazer só existe quando também se tem liberdade de não fazer.

E se a opção de sublimar o desejo é válida, porque quem a adota não pode contar com ajuda profissional para tornar o caminho mais fácil?

Carlos disse...

Fernando, (qual deles?)

Tem razão ao afirmar que a pessoa tem a opção de "escolher" viver uma vida de desejo insatisfeito para se ajustar aos seus valores ou aos da sociedade que frequenta. (afinal, se assim não fosse, teríamos que matar todos os ex-pedófilos) Mas ainda assim é importante a tal psicologa deixar claro que seu trabalho consiste em fazer a pessoa reprimir seus desejos, e não em curar o homossexualismo.